Os Cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar os nossos serviços, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.

[Fechar]
Em Destaque
Fradelos

Queima do Galheiro de Fradelos encerra festejos carnavalescos

2018-02-07

Tradições

Texto:
Isaura Costa

Fotografia de:
CMVNF




Tradição cumpre-se na noite de terça-feira de Carnaval

São cada vez mais as pessoas que na noite de terça-feira de Carnaval se reúnem na freguesia de Fradelos, em Vila Nova de Famalicão, para assistir à Queima do Galheiro. Por lá, ninguém sabe ao certo como ou quando nasceu esta tradição tão peculiar. Sabe-se, no entanto, que está ligada aos primórdios do Entrudo, aos rituais de purificação e à expulsão das forças malignas do Inverno e do início do período renovador da Quaresma.

Ao longo do dia, em vários lugares da freguesia, a população sai à rua amontoando os restos das sementeiras, os galhos velhos das árvores e o silvado, no topo coloca-se um boneco a quem se chama entrudo e pega-se fogo. Os galheiros chegam a atingir os 15 metros de altura.

A Queima do Galheiro assinala, assim, o final das festividades carnavalescas e o início da quaresma pascal. Nos últimos anos, a tradição tem ganho dimensão e qualidade, muito graças ao trabalho incentivador promovido pela Associação Juvenil de Fradelos Koklus que tem procurado envolver as novas gerações na iniciativa.

Depois da atribuição de prémios aos melhores galheiros e da criação de um regulamento próprio, a Koklus tem nos últimos anos garantido a animação do evento, atraindo mais participantes e também mais visitantes.

Este ano, estão já garantidas as participações do lugar da Povoação e dos lugares de Quinta e Sapugal.



Fradelos

Queima do Galheiro de Fradelos encerra festejos carnavalescos

2018-02-07

Tradições

Texto:
Isaura Costa

Fotografia de:
CMVNF




Tradição cumpre-se na noite de terça-feira de Carnaval

São cada vez mais as pessoas que na noite de terça-feira de Carnaval se reúnem na freguesia de Fradelos, em Vila Nova de Famalicão, para assistir à Queima do Galheiro. Por lá, ninguém sabe ao certo como ou quando nasceu esta tradição tão peculiar. Sabe-se, no entanto, que está ligada aos primórdios do Entrudo, aos rituais de purificação e à expulsão das forças malignas do Inverno e do início do período renovador da Quaresma.

Ao longo do dia, em vários lugares da freguesia, a população sai à rua amontoando os restos das sementeiras, os galhos velhos das árvores e o silvado, no topo coloca-se um boneco a quem se chama entrudo e pega-se fogo. Os galheiros chegam a atingir os 15 metros de altura.

A Queima do Galheiro assinala, assim, o final das festividades carnavalescas e o início da quaresma pascal. Nos últimos anos, a tradição tem ganho dimensão e qualidade, muito graças ao trabalho incentivador promovido pela Associação Juvenil de Fradelos Koklus que tem procurado envolver as novas gerações na iniciativa.

Depois da atribuição de prémios aos melhores galheiros e da criação de um regulamento próprio, a Koklus tem nos últimos anos garantido a animação do evento, atraindo mais participantes e também mais visitantes.

Este ano, estão já garantidas as participações do lugar da Povoação e dos lugares de Quinta e Sapugal.