Os Cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador. Ao utilizar os nossos serviços, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.

Em Destaque
Vila Nova de Famalicão

Uma delegação do BE visita o Centro de Saúde Famalicão

2018-05-24

Política

Texto:
BE

Fotografia de:
BE




Pedro Soares verificou que há necessidade de investimento nas várias instalações que integram o agrupamento dos centros de Saúde Ave/Famalicão

Uma delegação do Bloco de Esquerda composta pelo deputado Pedro Soares, Adelino Mota dirigente concelhio e Leonel Castro dirigente distrital reuniu na passada terça feira com o diretor do centro de saúde de Famalicão. Ivo Sá Machado diretor do centro fez uma exposição do funcionamento do centro  e das suas necessidades. Depois de ouvir a exposição Pedro Soares verificou que há necessidade de investimento nas várias instalações que integram o agrupamento dos centros de Saúde Ave/Famalicão, e vai exigir que na reprogramação dos fundos do Portugal 2020 sejam asseguradas verbas para investir na qualificação já planeada em unidades de saúde com carências evidentes na área de Famalicão.

O deputado verificou ainda que o índice de envelhecimento já é superior a 85% e estas pessoas têm de ser apoiadas.

Este quadro implica cuidados especiais relativamente ao serviço básico de saúde, assegurando mais proximidade, mais deslocações ao domicílio e mais técnicos em diversas valências

Este ACES já conta com 8 Unidades de Saúde Familiar, onde há integração dos cuidados e melhor atendimento. Mas ainda subsistem 6 outras unidades (UCSP) que mantém não integração dos cuidados e problemas no atendimento. Por exemplo, em Fradelos uma consulta pode demorar mês e meio para ser realizada e há utentes sem médico de família.

Para resolver estes constrangimentos que precisam de ser ultrapassados com urgência em instalações das unidades deste ACES são necessários cerca de 5 milhões de euros. Neste momento apenas estão disponíveis pouco mais do que 10% dessa verba, o que está a impossibilitar os investimentos necessários naquelas unidades.

Pedro Soares considera essencial e da máxima urgência que na reprogramação dos fundos do Portugal 2020 esta questão seja equacionada. O SNS não se pode continuar a degradar-se nem ao nível das instalações, nem ao nível do serviço. Para o deputado não é admissível que os cidadãos continuem a esperar semanas por uma consulta e que ainda tantos utentes em Famalicão não tenham médico de família.

 



Vila Nova de Famalicão

Uma delegação do BE visita o Centro de Saúde Famalicão

2018-05-24

Política

Texto:
BE

Fotografia de:
BE




Pedro Soares verificou que há necessidade de investimento nas várias instalações que integram o agrupamento dos centros de Saúde Ave/Famalicão

Uma delegação do Bloco de Esquerda composta pelo deputado Pedro Soares, Adelino Mota dirigente concelhio e Leonel Castro dirigente distrital reuniu na passada terça feira com o diretor do centro de saúde de Famalicão. Ivo Sá Machado diretor do centro fez uma exposição do funcionamento do centro  e das suas necessidades. Depois de ouvir a exposição Pedro Soares verificou que há necessidade de investimento nas várias instalações que integram o agrupamento dos centros de Saúde Ave/Famalicão, e vai exigir que na reprogramação dos fundos do Portugal 2020 sejam asseguradas verbas para investir na qualificação já planeada em unidades de saúde com carências evidentes na área de Famalicão.

O deputado verificou ainda que o índice de envelhecimento já é superior a 85% e estas pessoas têm de ser apoiadas.

Este quadro implica cuidados especiais relativamente ao serviço básico de saúde, assegurando mais proximidade, mais deslocações ao domicílio e mais técnicos em diversas valências

Este ACES já conta com 8 Unidades de Saúde Familiar, onde há integração dos cuidados e melhor atendimento. Mas ainda subsistem 6 outras unidades (UCSP) que mantém não integração dos cuidados e problemas no atendimento. Por exemplo, em Fradelos uma consulta pode demorar mês e meio para ser realizada e há utentes sem médico de família.

Para resolver estes constrangimentos que precisam de ser ultrapassados com urgência em instalações das unidades deste ACES são necessários cerca de 5 milhões de euros. Neste momento apenas estão disponíveis pouco mais do que 10% dessa verba, o que está a impossibilitar os investimentos necessários naquelas unidades.

Pedro Soares considera essencial e da máxima urgência que na reprogramação dos fundos do Portugal 2020 esta questão seja equacionada. O SNS não se pode continuar a degradar-se nem ao nível das instalações, nem ao nível do serviço. Para o deputado não é admissível que os cidadãos continuem a esperar semanas por uma consulta e que ainda tantos utentes em Famalicão não tenham médico de família.